Desce Turismo
  • Instagram Desce Turismo
  • Twitter Desce Turismo

Twitter

Instagram

  • Facebook Desce Turismo

Facebook

Sobre nós

Blog de viagem compartilhado por uma turismóloga e uma fotógrafa fascinadas por viagem. Thaís e Débora percorrem há três anos cidades incríveis desse mundão.

Saiba mais..

Busque por Tags
Please reload

AS MAIS LIDAS

Uma noite na península de Punta del Este

Nosso planejamento de viagem para o Uruguai envolveu mais duas cidades: Punta del Este e Colonia del Sacramento. A vibrante Punta nos recebeu por uma noite, e nos encantou com seu balneário luxuoso, estilo de vida singular e belezas naturais.

 

De Montevideo a Punta

 

Saímos de Montevideo pela manhã em direção a Punta. Para uma viagem mais cômoda e simples recomendamos alugar um carro, pois foi o que fizemos e sempre gostamos muito de fazer trechos ou viagens inteiras dessa forma. Pensamos que dá uma certa liberdade para criar o próprio roteiro. Sem dúvida existem outras maneiras de chegar a Punta, este é só nosso jeito particular que coube no orçamento.

 

Seguindo direção Este na Ruta Interbalnearea, demoramos cerca de duas horas para chegar em Punta. A estrada é incrível e uma atração em si. Vale ressaltar que neste trecho existem 02 pedágios, cada um no valor de aproximadamente 70 pesos uruguaios.

 

 

Um pouquinho sobre Punta del Este.

 

A cidade de Punta del Este parece ter saído de um catálogo sobre bairros incríveis. As casas e jardins são dos sonhos de qualquer um, não é a toa que a Forbes considera a cidade o balneário mais luxuoso na América do Sul.

 

Em atrativos naturais lá é o ponto do mapa em que o Rio de la Plata encontra o Oceano Atlântico e, por se tratar de uma península, essa divisão rio-oceano fica bem clara ao longo da cidade.

 

Ficamos hospedadas no Hotel Ajax exatamente entre a Playa Mansa que é banhada pelo Rio de la Plata, e a Playa Brava que é banhada pelo Oceano Atlântico.

 

Primeira parada: Los Dedos.


Após o check in no hotel seguimos para a pé até a Playa Brava. Lá está a famosa escultura 'Los Dedos' do chileno Mario Irarrázabal, um dos cartões postais da cidade e do próprio Uruguai.

 

 

 

Aproveitamos para tirar umas fotos, e caminhar um pouco pela praia que é LINDÍSSIMA. Aconselhamos obviamente a tomar um banho de mar na primeira oportunidade, já que por estarmos sozinhas e a praia cheia preferimos não mergulhar naquele momento. Pelo cansaço da viagem de carro e com a troca de hotéis, preferimos comer algo próximo a praia e aproveitar todo o dia seguinte.

 

 

 

 

Um dia chuvoso e uma Punta diferente.

 

Por falta de um pouco de sorte o dia seguinte amanheceu chuvoso. Como vocês podem imaginar, rolou um sentimento de arrependimento por não termos entrado na praia no dia anterior com o dia lindo.  


Tentando aproveitar o dia da melhor maneira, descobrimos já no café da manhã algumas particularidades do estilo de vida de Punta del Este. A cidade começa a se movimentar já tarde, o café da manhã, por exemplo, ia de 8h às 12h, e o almoço dos locais começa normalmente, após as 14h.

 

É importante saber disso de antemão para conseguir acompanhar o ritmo da cidade, principalmente se for ficar mais tempo nela. Como nós só tínhamos esse dia, tomamos café da manhã mais cedo, fizemos o check out e fomos conhecer Punta de ponta a ponta. 

 

Começamos passando por um bairro chamado Berverly Hills a caminho do centro antigo onde tem umas casas à la California, e depois fomos ao farol da cidade que é próximo ao marco de Punta del Este: o encontro do Río de la Plata e o Oceano Atlântico. 

 

  

Seguimos dali caminhando até este mirante espetacular. Do nosso lado direito, a calmaria do Rio de la Plata e do lado esquerdo, as ondas do Oceano batendo na encosta e, no meio disso, o encontro que parecia perfeitamente planejado. 

 

 

No mesmo local existe também uma famosa escultura de sereias, que estão infelizmente destruídas talvez pelas ondas, vento, chuva, e uma falta de manutenção.

 

  

Seguindo pelas curvas da estrada e Punta, fomos de carro por toda a extensão da Playa Brava. Por ali você começará a entender o título dado pela Forbes de balneário mais luxuoso da América do Sul. É onde ficam os casarões mais incríveis que já vimos, até mais do que no tal Beverly Hills.

 

Fomos até a ponte La Barra que dá acesso a um dos bairro de punta onde tem também um farol, que diferente do farol oficial pode ser visitado. Passamos somente pela ponte que dá um friozinho na barriga e depois voltamos para buscar um local para comer. 

 

 

 

Procurando um restaurante antes das 14h00.

 

Era por volta de meio dia, e os restaurantes estavam ou fechados ou vazios!

 

Descobrimos um restaurante com vista panorâmica que ficava no topo de um prédio na Playa Brava o qual cogitamos subir, mas só o valor de subida no elevador panorâmico era de 200 pesos por pessoa. Por isso desistimos de ir, e resolvemos economizar 400 pesos para comer bem. 

 

Procuramos algo do lado da Playa Mansa, e achamos um restaurante chamado Daiquiri bem na beira da praia, foi perfeito.

 

  

A Casapueblo.

 

Depois do almoço saímos da cidade em direção a CasaPueblo, local que fora erguido e habitado por mais de 40 anos pelo artista plástico uruguaio Carlos Páez Vilaró - o artista que desenhou o solzinho da bandeira do Uruguai -. O local é esplêndido e, segundo os dados, Vilaró buscou fugir das linhas retas, o que traz a arquitetura do local a aparência das pequenas casas gregas de Santorini. É incrível!

 

 

  

Depois da visita a Casapueblo, fomos a um mirante próximo que dá vista para toda Punta del Este, e nos despedimos de volta a Montevideo para nossa última noite na capital.  

 

Links úteis: Hotel AjaxRestaurante | Daiquiri CasaPueblo


 

Please reload

Mais postagens:

As vantagens de um hotel Disney

May 22, 2019

Montmatre e a boemia parisiense

March 2, 2018

1/15
Please reload